Prisma Literário: Precisamos Falar sobre Breaking Bad

Precisamos Falar sobre Breaking Bad

Olááá pessoas.
Mais uma vez escolhi fugir um pouco do nossos assuntos literários para falar sobre uma série que finalizei recentemente. Vale ressaltar que foi a série que vi mais rápido até hoje, então posso garantir que para quem ainda não viu, hoje a dica é muito boa.

Breaking Bad é uma daquelas séries que despertou em mim, quase que instantaneamente, o sentimento de amor e ódio, tanto por algumas atitudes do protagonista - Walter White - e por ter visto em uma época conturbada da minha vida. Nunca tinha ouvido falar muito sobre a série e não tinha a mínima vontade de ver, até que depois de muuuuuuuita insistência de um amigo, acabei arriscando.

Walter White se mostra um personagem acomodado com a vida, junto a sua família, um simples professor de química. Tudo muda quando é diagnosticado com câncer e então pensa em como sua família irá sobreviver sem ele, já que se encontram numa situação financeira complicada. História vei, história vem e logo Walter White está produzindo metanfetamina com um ex aluno, Jesse.

 É incrível notar ao longo de cada temporada o quanto Walter se agarra a esse novo mundo, o quanto ele é frustrado por ser um simples professor que tem uma mente brilhante mas que ainda assim, possui uma vida mais ou menos. Então, a produção de drogas, mesmo que sem querer, acaba se tornando sua válvula de escape, sua oportunidade de ter mais poder, de ser visto como uma pessoa perigosa.

Walter White não foi um personagem que conseguiu me agradar, não pela produção de metanfetamina, mas por diversas atitudes ao longo da série em relação a sua família, a Jesse e toda sua irresponsabilidade e impulsividade que acarretavam em acontecimentos estúpidos. Claro que levo em conta toda sua euforia de ser uma nova pessoa, mas em certo momento, nota-se que Walter se torna um ser doentio. Já Jesse, seu parceiro, apesar de ter me irritado bastante no incio, também por atitudes totalmente sem noção, acaba se tornando meu queridinho da série.

Pensem em uma série que te fará ter inúmeros sentimentos, é essa. Havia momentos que eu sentia tanta raiva dos personagens que pensava em desistir, mas ao mesmo tempo, isso me instigava para os próximos capítulos, que por sua vez, conseguiam deixar meus olhos marejados. Não da para negar a genialidade do roteiro, a quantidade de acontecimentos totalmente inesperados que me faziam até pular da cadeira.

Além dos protagonistas, contamos também com personagens absurdamente marcantes, quem assistiu sabe o quanto é importante e maravilhosa a participação de Saul, Mark e Gus. Foi incrível a diferença de personalidade de cada personagem, tão diferente que isso dava a série, ainda mais elementos para nos impressionar.

São inúmeros episódios que eu poderia citar que conseguiram me marcar muito, seja positivamente (por ter sido tão bem pensado e foda) ou negativamente (por ser triste e me deixar mal), e se isso uma série consegue te levar a extremos, com certeza o diretor cumpriu seu papel de comover os espectadores.

A série se destaca também no quesito psicológico já que vemos uma mudança drástica da vida de um personagem, que era um simples professor de química frustrado, se tornando em um produtor de metanfetamina absurdamente foda. Além de Walter, também presenciamos questões psíquicas de Skyler White, Hank, Marie (por que essa mulher só usa roxo), entre outros personagens que são explorados psicologicamente.,

Não sei dizer qual foi a melhor temporada, pois cada uma tinha um enredo genial, com uma fotografia incrível. Confesso que fazia um bom tempo que uma série não me instigava desse jeito, a ponto de ver inúmeros episódios por dia (sendo que sou bem mais ligada a filmes). Foi a primeira série que vi do gênero, e isso me abriu portas para cogitar a ver outras. Finalizar a série foi maravilhoso, mas confesso que ainda sinto um vazio de saudade. Com certeza recomendo a amantes do gênero e aqueles que como eu, precisam arriscar para conhecer obras tão notáveis quanto essa.

6 comentários:

  1. Boa tarde!
    Enviei-vos um email. Queria que lessem, quando pudessem.
    Obrigada desde já!

    ResponderExcluir
  2. Menina, acredita que eu não consegui de jeito nenhum me interessar por esta série? Pois é, em compensação, sei que ela tem milhares de fãs e não me surpreendi com o que li na sua postagem.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu assisti até a terceira temporada, mas depois acabei ficando entediada. Minha filha que me indicou quer me matar pq não funcionou comigo, sei lá pra mim nada a ver um professor decadente e um aspirante a traficante, mesmo que a ideia já que ele é o gênio da química e não tem esse respeito fazer algo que abale em grande escala, mas pra mim chega! rs

    ResponderExcluir
  4. Olá, o nome da série não me era estanho, seu post me fez lembrar que ela é uma das que tenho curiosidade de ver, especialmente por achar interessante o perfil dos personagens.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Já ouvi falar dessa serie, mas realmente não me interesso em assisti-la. Talvez a sua relação de amor e odio não seja devido a te-la assistido em um momento ruim, talvez ela não seja mesmo para você. As vezes é assim. Por exemplo lá casa de papel é outra super amada e eu não consegui assistir mais que 3 episodios. Emfim não curti muito a serie e já estou de olho nas suas proximas dicas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Claro que eu já ouvi falar desta série, e muito bem. Mas eu tenho problemas com anti-herois/vilões como protagonistas, eu não iria durar muito com a série. Tenho a necessidade de ter um protagonista que eu goste pra continuar vendo hahahahaha
    Quem sabe um dia eu mude de ideia, mas por enquanto eu passo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir

LAYOUT E PROGRAMAÇÃO POR SHAIRA FOTO E DESIGN
imagem-logo