Prisma Literário: Resenha: O Anexo - Sharon Dogar

Resenha: O Anexo - Sharon Dogar

Sinopse: Das oito pessoas que viveram escondidas com Anne Frank no anexo de um armazém em Amsterdam, durante dois anos da Segunda Guerra, apenas uma resistiu à barbárie dos campos de extermínio: o pai de Anne Frank, que se encarregou de publicar os diários da filha sobre o período em que viveram reclusos. Em O anexo, a escritora inglesa Sharon Dogar faz com o personagem Peter van Pels, de quinze anos, o que Otto fez com Anne: dar a oportunidade para que “fale” sobre a vida naquele ambiente claustrofóbico. Dogar inverte a perspectiva do diário da menina judia, fornecendo uma nova visão sobre os dois anos em que os Frank e os Van Pels (que Anne chamava de Van Daan em seus escritos) se esconderam dos nazistas. No período em que Peter ansiava pela liberdade das ruas e Anne se dedicava com afinco ao diário, ela imagina que os dois teriam se envolvido num romance furtivo. Para além do diário, a ficção de Sharon Dogar narra de forma comovente a chegada dos nazistas ao esconderijo, a viagem de trem até o campo de concentração - quando homens e mulheres são separados - e a luta de Peter, seu pai e Otto Frank para sobreviver ao horror dos campos. A autora recria assim uma história imperdível para os fãs do famoso diário.

O Anexo nos narra a história de Anne Frank de um modo imaginário pelo ponto de vista de Peter Van Pels, o filho da família que dividiu o anexo com Anne Frank. Para quem não sabe, em sua diário, Anne deixava claro o quão era apaixonada por Peter mas a questão da diferença de idade entre os dois a impossibilitava de tentar alguma coisa.

Sharon Dogar consegue recriar a história de modo que parece realmente o próprio Peter narrando sua agonia ao estar preso em um lugar sem ver a luz do sol em plena Segunda Guerra Mundial, já que é judeu e se esconde dos nazistas. Foi muito interessante como Sharon conseguiu abordar assuntos não só da guerra mas a sensação toda de ser um adolescente que está em desenvolvimento e apaixonado, tudo isso no meio do caos.

É muito complicado para Peter lidar com a família e ainda ter os desejos de um adolescente que é virgem e seu maior sonho é poder finalmente fazer amor com uma garota, ou seja, uma de sua maiores agonias, é morrer virgem sem saber o que é sexo. O modo como isso é retratado é de fato muito real, palpável, e parecia realmente que eu estava lendo um diário de um jovem e sentindo junto com ele cada sensação.

Confesso que em alguns momentos eu me sentia um pouco desconectada do livro, pois sentia que a narração por vezes se tornou monótona, então ficava avoada entre as páginas. Não durava muito tempo e logo eu estava sofrendo junto com Peter e todos dentro do anexo me colocando na situação de cada um.

A parte mais legal, foi presenciar a relação de Anne e Peter se desenvolvendo nesse diário e como ambos se conquistaram (na ficção). A autora conseguiu manter o mesmo gênio forte de Anna e o mesmo jeito peculiar de Peter, o que com certeza resultou numa relação um tanto complexa e engraçada e isso com certeza dava um toque a mais na leitura.

De forma muito poética e peculiar, a narrativa vai seguindo nos deixando cada vez mais angustiados e aflitos, então se a intenção da autora era causar uma montanha russa de emoções, em mim ela conseguiu bastante. Espero poder ter oportunidade de ler outras obras da ficção que se inspirem na história de Anne Frank e sua família e claro, me empolgar assim como empolguei com o suposto Peter.

15 comentários:

  1. nossa, nunca parei pra pensar na perspectiva dos outros moradores, até pq a gente fica fisgado no relato de Anne por ter sido real, e como seria se os demais tb tivessem deixado algo por escrito?
    outra coisa é essa capa espetacular. adoro esse estilo de imagem...
    anotei a sugestão...apesar do probleminha na narrativa que vc mencionou, quero fazer a leitura...
    bjs...

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu não sabia da existência desse livro e estou encantada agora. Eu sei que a história de Anne não foi fácil mas nunca havia parado para ver por outro ângulo é esse parece dar exatamente isso. Adorei saber sobre ele. Obrigada.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu não conhecia esse livro e adorei poder ver a perspectiva através dos outros moradores. Certamente é uma leitura que preciso incluir na minha lista de leituras. Só espero me conectar com os personagens, pois percebi que você teve um pouquinho de dificuldades em alguns momentos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Não tinha visto este livro ainda, e achei muito interessante ter o ponto de vista de outra pessoa que passou por isso. confesso que mesmo já tendo lido o Diário de Anne Frank duas vezes, nunca pensei a respeito.
    Bjs rose

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu ainda não li o Diário de Anne Frank, mesmo tendo ele aqui na estante, mas já vou deixar anotado esse livro para ler apos ele *-* Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  6. Apesar do livro mostrar um lado diferente de onde Anne viveu, acho que a leitura é válida porque nos mostra um pouco mais de como era viver escondido.
    Preciso muito ler O Diário de Anne Frank e claro ler O Anexo que por mais Peter tenha diferença de idade ele viveu com ela.

    ResponderExcluir
  7. Gente, que capa espetacular. E que perspectiva espetacular de Anne Frank, preciso desse livro, proposta singular e sei que vou me emocionar. pena que algumas vezes, você se sentiu perdida no livro

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas confesso que a proposta não me agradou. Acho complicado criar uma obra ficcional com personagens que realmente existiram. Seria interessante ver a perspectiva das outras pessoas que conviveram com a Anne se a obra fosse baseada em relatos dessas pessoas e não simplesmente fruto da imaginação da autora. Me pareceu uma licença poética grande demais.
    O livro parece ser interessante ao retratar o período histórico e aumentar gradativamente a tensão do leitor, mostrando como era ter que viver escondido dos nazistas. Porém, preferia que fosse uma obra totalmente ficcional e não usasse o nome de uma pessoa que foi tão conhecida.
    De qualquer forma, adorei a resenha e fico feliz que você gostou da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Pela sua resenha eu curti o conceito da história e tudo que ela propõe porém o fato de ser um pouco lento me desanimou. Eu acho que até leria, mas quando tivesse um pouco mais de tempo para aproveitar aos poucos.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura!! :)

    Infelizmente, e uma pena que te tenhas sentido cansada em algumas partes... Pelo menos a narração consegue a poesia e a peculiaridade!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Ainda naõ tive a chance de ler anne frank mas adoro o filme e adoro ao quão profunda e real é a história, eu leria esse livro.

    ResponderExcluir
  12. OIieee

    A história da Anne Frank sempre foi uma história que mexeu comigo, foi um dos primeiros livros que li, quando aidna era bem novinha, por vontade própria mesmo, sem ser as leituras obrigatórias da escola e lembro que esse livro li e reli mais de 3 vezes. Não sei se leria O Anexo, às vezes me incomoda quando o autor tenta criar uma ficção à partir de um fato tão real como foi a história da Anne. Acho que prefiro ficar com a versão original, dela mesma, no diário, embora não nego que criar um ponto de vista alternativo do Peter é bem interessante.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Catharina!
    Não conhecia esse livro e fiquei nas nuvens! Já quero pra ontem!!!
    Li O Diário de Anne Frank na adolescência e foi um livro que me emocionou demais. Já reli inúmeras vezes (já perdi a conta) e sempre observo coisas novas no texto.
    Fiquei bastante curiosa pra ler O Anexo e acho que seria uma experiência bacana. Já foi para a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oiee Catharina ^^
    Lembro até hoje de quando li O diário de Anne Frank e comecei a me interessar por história <3 ainda não conhecia esse livro, mas parece ser muito interessante, principalmente por se tratar de uma ficção que poderia ter realmente acontecido. Quem sabe, né? Vai que algumas das coisas que a autora contou no livro realmente aconteceram! Fiquei curiosa para ler, espero gostar e sofrer com Peter também, já que nós, leitores, amamos sofrer...haha'
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oiie
    Uau, não sabia que existia esse livro. O diário de Anne Frank está na minha lista de leituras para 2018 e adorei saber que existe esse livro, vou ler logo depois do diário kkk Linda resenha, amei. Adoro livros que causam diversas emoções nos leitores.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir

LAYOUT E PROGRAMAÇÃO POR SHAIRA FOTO E DESIGN
imagem-logo