Prisma Literário: Resenha: O Que Há de Estanho em Mim - Gayle Forman

Resenha: O Que Há de Estanho em Mim - Gayle Forman

Sinopse: Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.
*Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro para divulgação. 



Brit é uma adolescente que apesar de alguns ponto peculiares, aparentemente é completamente normal com seus conflitos e problemas da adolescência, porém, não é assim que sua madrasta e seu pai a enxergam já que a adolescente se dedica em sua banda de rock e não tem a personalidade que ele espera de uma filha. Sendo assim, ao partir para uma viagem com Brit, seu pai na verdade está a caminho de uma clinica para internar sua filha sem o consentimento dela. Brit tem certeza que a ideia é de sua madrasta então sua raiva é direcionada principalmente á ela.

Ao chegar na clinica, Brit percebe que está diante de um lugar onde os funcionários não se importam realmente com seus pacientes já que para ser considerada uma jovem normal, ela deve dedurar atitudes de suas colegas para finalmente se ver livre dali. Logo Brit faz amizades com diferentes garotas que assim como ela, não devem estar ali, desde "ninfomaníacas" até "cleptomaníacas" enquanto os funcionários querem construir personalidades que a sociedade espera de adolescentes normais, incluindo a humilhação contra seus pacientes, sem contar o estado caótico de tudo ali.

Minha única experiencia com a autora tinha sido os dois livros de Se Eu Ficar e posso dizer que havia gostado bastante da narrativa e da história. Quando vi o lançamento e o enredo desse, quis ler na hora mas não imaginava quanto a leitura iria mexer comigo. Temos aqui um enredo ficcional mas que sabemos que ainda há alguns anos, era totalmente real e ainda pior do que é demonstrado no livro, sabemos também que até hoje existem clinica psiquiatrias que não possuem os melhores métodos de tratamento.

Para pessoas que assim como eu, amam um livro que aborde mais questões psicológicas, esse é um prato cheio. Acompanhamos a trajetória de Brit naquele lugar com muita agonia e torcida por cada garota que está lá dentro, muitas vezes me coloquei no lugar de cada uma imaginando se eu aguentaria sobreviver em um lugar daqueles. Ao longo da leitura, conseguimos criar um carinho especial por cada personagem, e aqueles que assim como eu, cursam Psicologia, a vontade é de pegar cada paciente para si e ajudar verdadeiramente.

A leitura contém uma enorme critica ao sistema psiquiátrico, mostrando como ao invés de ajudar pacientes com doenças psíquicas - ou pacientes que não tem doenças psíquicas só porque não são do jeito que queremos - o tratamento em uma clinica psiquiátrica inadequada só causa mais comprometimentos ao psicológico de tais pacientes.

A luta da protagonista e de cada personagem para manter a sanidade dentro daquele lugar é admirável, podemos ver o quanto elas se esforçam para ajudar umas as outras e presenciar a agonia de Brit que sente falta de sua banda e de sua vida normal. É de longe um drama que comove e nos faz pensar o que realmente é anormal, o que seria uma pessoa "anormal"? O que seria uma pessoa "normal'? Foi uma leitura que me levou a lagrimas e diversas reflexões.

O final do livro é simplesmente maravilhoso, daqueles que nos fazem sorrir e ter esperança pelo menos por alguns minutos. Foi um final bem elaborado e escrito por Gayle. Do inicio ao fim, foi com certeza um livro que ganhou meu coração e que sempre irei indicar e recomendar para todos. Por favor, leiam esse livro.

24 comentários:

  1. Oi, Catharina ^^
    Ainda não havia parado para ler nenhuma resenha a cerca dessa obra e que erro cometi!
    Não sabia que tal escrito abordava questões tão profundas e que merecem reflexão constante!
    Isso de esperar tais atitudes e colocar cada pessoa em estereótipos é uma furada tremenda que as sociedades impõem. Ver pessoas como a Brit querendo quebrar esse ciclo vicioso me emociona e despertar a minha profunda admiração pela personagem.
    Com certeza será uma leitura enriquecedora e reflexiva quando eu puder ter a oportunidade de ler essa obra.
    Ainda estou chocado em saber que o próprio pai internou a filha sem o seu consentimento. Que ser desprezível!!!
    É bem triste saber que lugares como esse retratados no livro existiram de fato. Fico chocado sempre quando eu lembro de um lugar aqui no Brasil que as pessoas iam de trem mas nunca voltavam com vida. Para você ver como os humanos podem ser cruéis. :(
    Parabéns pela resenha, Catharina. Depois da sua resenha definitivamente eu quero ler Gayle Forman. ^^
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. oi ^^
    li esse livro esse ano e adorei tbm. foi uma leitura muito reflexiva, porém achei o final muito rápido porque ela faz as pazes com a família rápido demais, sem resolver qualquer questão que há entre eles. tirando isso gostei muito da leitura. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  3. Oi Cath, tenho muita vontade de conferir essa obra. Ela é muito controversa, tem gente que ama e outros que a odeiam, já li diversas críticas, mas a sua me empolgou e quem sabe eu não dê uma chance em breve.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Eu li algumas resenhas sobre esse livro é fiquei bastante curiosa tenho que lhe dizer. Eu ainda não tive a chance de ler ele. Mas espero logo poder pois sua resenha só me despertou mais ainda a curiosidade. Parabéns.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Não sabia que a autora havia publicado este livro, só conhecia por cima o "Se eu Ficar" e o "Eu Estive Aqui". Me desperta uma certa curiosidade neste título resenhado pelo fato de fazer uma crítica ao sistema psiquiátrico e não envolver romance. Não sei se leria mais adiante.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Minha única experiência com a autora também foi em "Se eu fica" do qual gostei muito!
    E com certeza quero ler esse, também gosto de livros que envereda para a psicologia e já fico aqui imaginando um final emocionante e com grandes conquistas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ola Cath, tudo bem?
    Desse autora eu conhecia Se eu ficar e Para onde ela foi. Amei os dois já li e reli inúmeras vezes. Eu tenho esse livro, mas confesso que a capa me deixou um pouco nervosa. Sei lá me lembra um historia triste. Mas como você adorou vou ler sim, afinal você nunca se engana nas suas avaliações. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Hey! Ouço muitos falarem desse livro e já me interesso bastante pelas obras dessa autora, esse livro tá há um tempão em minha lista de quero ler hehehe. E que bom que gostou me motivou a querer (ainda mais) a ler ☺ Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  9. Oie...
    Imagino que o livro deve ser bastante denso, pois, já imagino quão tenso deve ser acompanhar a luta da personagem para manter a própria sanidade mental... Gostei de saber que o final é maravilhoso, isso me animou demais a ler!
    Amo a Gayle e com certeza vou botar esse livro nos desejados do próximo ano.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oiii, tudo bem?
    Eu tenho bastante interesse em realizar a leitura desse livro, realmente até agora só li comentários positivos e adoraria ler, sua resenha ficou demais, quem sabe ele entre para os desejados do ano que vem?
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Fiquei bastante intrigada com este livro. Gosto quando mexe com a cabeça assim. Engraçado que, atualmente eu estou fazendo um tratamento psicológico, não chega perto de retratar isso, claro. Mas mexe com a gente né.

    ResponderExcluir
  12. Depois do pesado "Garota Interrompida", acho que a autora Gayle Forman tentou dar um tom mais adolescente aos conflitos dos pacientes psiquiátricos. Só por isso já merece crédito. Quero ler, claro. Sou psicóloga e a favor do movimento antimanicomial, pois sei quão profundamente prejudicial pode ser aos pacientes se submeterem a "cuidados" desumanos quando já estão fragilizados.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá, eu ainda não li nada dessa autora, mas eu realmente gostei da temática que é abordada aqui.Fazer uma crítica (com um argumento válido) sobre o sistema psiquiátrico demanda do autor um tremendo trabalho de pesquisa, ainda mais se quer manter o entretenimento envolvido. Pretendo ler em breve. Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá Catharina,
    Que bom que esse livro te conquistou. Tenho uma relação de amor e ódio com a autora, mas tenho vontade de ler esse livro para saber o que vou achar.
    Gostei de saber que o livro te agradou no começo ao fim e que a leitura tem uma enorme crítica. Pela resenha sinto ela presente.
    A sua resenha está incrível e completamente apaixonante.
    Espero ler em breve e curtir.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  15. Oie! Eu nunca li nada da autora e, apesar de sentir curiosidade pelo livro Se Eu Ficar, tenho lido muitas resenhas de O Que Há de Estranho em Mim e ficado cada vez mais ansiosa para ler. Tenho certeza de que será uma leitura que também mexerá muito comigo. Infelizmente, essa história de não ser como os outros querem é muito comum na nossa realidade, então acho que isso me traria um sentimento bem mais profundo durante a leitura.

    Beijos,
    Fernanda Goulart
    Psiu, vem ler! | @psiuvemler

    ResponderExcluir
  16. Oi querida, tudo bem?
    Essa sinopse já me deixou MUITO revoltada e conforme fui lendo a tua resenha, fiquei louca de ódio do pai e da madrasta dela. Sério, que tipo de pessoas acham que internar alguém uma clínica por conta da pessoa ser como se mostra é correto? Isso é extremamente revoltante!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi, Catharina!

    Vi essa capa circulando pelas redes sociais mas não fazia ideia de que era uma obra da Gayle Forman! Que beleza! Só pela sinopse vi que parece ser um livro bem instigante, que com certeza faz o meu tipo. Estou ansiosa para conferir o livro, sua resenha me deixou muito animada! Dica anotada!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oiee, tudo bem? Eu também ameeei esse livro! Li no comecinho do ano e fiquei apaixonada pela trama, pelas personagens maravilhosas que a Gayle criou. E esse final foi mesmo maravilhoso!! Sua resenha ficou ótima :)
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Eu já tinha ouvido falar exatamente desses dois livros da autora: "O que há de estranho em mim" e "Se eu ficar" e já morria de interesse pelos dois. Agora, depois da sua resenha, eu vi que "O que há de estranho mim" é muito mais profundo e marcante. Com certeza eu tenho que ler esse livro, muito obrigada por aumentar ainda mais meu interesse.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  20. Olá!

    Eu fiqhie sabendo desse livro logo quando ela seria lançado e pela sinopse eu fiquei interessada. Não sei por qual motivo, mas acabei esquecendo dele e agora, lendo sua resenha, vejo que foi um tremendo erro.
    Seus comentários me despertaram um desejo enorme de poder conferir essa trama de perto e conhecer um pouco mais da luta dessas meninas para se manterem de mente sã diante de tanta dificuldade e controvérsia.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  21. Eu tenho um caso de amor e ódio com a autora... ou amo o livro ou odeio, então eu continuo insistindo nas leituras. No caso desse livro, eu amei - e muito.
    É interessante ver que profissionais sem qualificação tratam de pacientes e que esses, enquanto tem dinheiro não se curam, mas se são do programa de saúde a cura vem em três meses....
    Muitas coisas me tocaram durante a leitura - mais ainda que a autora comenta que fez pesquisas e encontrou coisas parecidas com isso. E sabe o que mais me incomoda? É que ainda existem instituições assim - e são por causa delas (das que já foram fechadas mas criaram a fama) que é tão difícil quando o assunto são problemas psiquiatricos... E pensar que ainda tem muita gente que acha que depressão é falta de ter o que fazer, que tatuagens servem para chamar a atenção e que se você é menina e não liga para moda só pode ser doente....
    Amei o livro - e amei sua resenha!!!!
    Deu a maior vontade de ler novamente :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Tenho muito interesse nesse livro desde que vi a capa pela primeira vez. Gosto de temas que mexem com nossos sentimentos e nos fazem refletir e pensar um pouco mais no outro, e esse parece ser um livro maravilhoso.
    Já li Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi e gostei muito da escrita da autora, espero que quando ler esse livro não me decepcione e goste assim como você.

    Abraços, Lara.
    Psiu, Vem Ler!

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que quando li esse livro nao estava muito animada, porque tinha lido outro livro da autora e nao tinha gostado muito. Mas esse livro me conquistou bastante, pois traz personagens muito bem construídos e o assunto que aborda é muito interessante. Enfim, fico feliz em ver que você também curtiu a leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  24. Li os dois livros da autora: Se eu ficar e Estive aqui. Conheci a escrita dela que por sinal é maravilhosa! Fico receoso apenas como a autora traz tanta bagagem em um livro só. As vezes cansa, mas nada qie atrapalhe a leitura. É por isso que fiquei curiosa com esse livro, apesar de triste, a Gayle é a rainha do drama!
    Amanda M.

    ResponderExcluir

LAYOUT E PROGRAMAÇÃO POR SHAIRA FOTO E DESIGN
imagem-logo