Resenha: Faça Amor, Não Faça Jogo - Ique Carvalho

12:22




Sinopse:
Faça amor, não faça jogo - Viver a plenitude do amor é o desejo senão de todas, ao menos da maioria das pessoas. Amar e ser amado incondicionalmente, contar com o apoio de alguém para as horas difíceis e para os momentos alegres, e saber que independentemente do que fazemos, alguém estará ao nosso lado simplesmente pelo que somos é o ideal de vida de muitos. Viver esse amor na prática, no entanto, nem sempre é fácil. E é exatamente sobre felicidade, vida e amor que Ique Carvalho fala neste livro. O autor, que começou escrevendo em seu blog e já tocou o coração de milhares de pessoas que se envolveram e se emocionaram com suas palavras, descreve com perfeição o amor que muitos procuram e poucos realmente encontram. E ele fala do amor em todas as suas expressões: desde o romântico entre duas pessoas até o mais puro e verdadeiro dos laços familiares, que ele tem com seu pai e mentor. Como as relações humanas são frágeis e complicadas, os relacionamentos tornam-se difíceis, o que nos faz buscar a felicidade nos lugares ou nas pessoas erradas. Mas o autor nos faz enxergar a vida de forma diferente. Faça amor, não faça jogo é um lembrete de que, no jogo do amor, não é necessário haver ganhadores ou perdedores. Basta olhar e aceitar novos paradigmas e acreditar no que diz seu coração. E vivenciar isso de verdade.

*Livro cedido pela Editora para resenha.

Recebi Faça Amor, Não Faça Jogo para resenha-lo, e é um pouco difícil falar sobre um livro quando não se trata de ficção mas sim da vida de alguém, afinal, estamos dando nossa opinião, fazendo uma crítica sobre sentimentos pessoais, mas vamos lá.
Ique Carvalho nos apresenta em seu primeiro livro, crônicas sobre seus amores e sentimentos, e principalmente sobre seu pai que está com uma doença degenerativa e o livro inteiro vai se tratar sobre isso.
Estou começando a pegar mais afinidade com livros de contos e crônicas por agora, pois apesar de sempre ler bastante livros assim por conta de envios dos autores, eu não fazia tanta questão e não achava tão legal, mas agora estou acostumando a ler um livro normal de história enquanto leio um de contos e confesso que estou gostando muito da experiência. Enquanto lia o livro de Ique, pensei bastante em muita coisa que ele escreveu, até mesmo sobre amor próprio e tudo mais.

Porém, em alguns momentos, achei tudo meio repetitivo, senti falta de um pouco de variação, Ique só falava nesse livro sobre como ele ama as mulheres, sobre seu pai e sobre como nunca decepcionou uma garota e só ele se decepciona, mas nunca desistiu. Eu sei que o livro foi praticamente feito para seu pai e achei a atitude linda e admirável, mas faltou variar um pouquinho, por exemplo, sobre como era quando seu pai não estava na cama sofrendo.


Ique também se tornou um pouco repetitivo por conta do "amor" pelas garotas que passaram em sua vida, ele fala no livro como se nunca na vida tivesse decepcionado alguém, o que eu duvido muito, pois ás vezes decepcionamos alguém, mesmo sem querer e isso não nos torna uma pessoa ruim. Ele parece ser uma pessoa muito legal, divertida e que faz mulheres felizes sim, mas imagino que em algum momento da vida já passou por aquilo de decepcionar alguém sem querer, todos nós já passamos e me incomodou bastante ele passar uma imagem onde era apenas a pessoa que foi "pisada" mas que relevava e levava tudo numa boa.

Mais uma vez falando sobre seu pai. Gente, adorei o pai do Ique, pelo ele conta, o homem parecia ser um anjo, um ótimo pai, avô, marido e filho, e sofri junto com o autor em alguns momentos, foram as partes mais tocantes do livro, apesar de como eu já disse, repetitivo. Mas Ique nos mostra uma verdadeira prova de amor por ter cuidado muito bem, ter tido paciência e ficado ao lado do pai até o final.

Sobre a edição, eu adorei essa capa, muito, é simples e bonita, passa uma impressão muito legal e foi o que mais me atraiu para leitura. Porém, por dentro, apesar de estar muito lindo, fiquei um pouco incomodada com o desperdício de folhas, o livro todo é escrito como se fosse poesia, mesmo sem ter nada a ver com poesia, então, a editora usou folha muito a mais, sem contar que cada título dos capítulos ocupam duas páginas, então se fossemos reduzir para uma edição padrão, normal, o livro iria conter menos de cem folhas, sem dúvidas. Mas fora isso, a edição ficou linda.

Recomendo sim, uma leitura rápida, muito rápida e bonita.

Poderá gostar também de

30 comentários

  1. Amiga quando eu comprei esse livro eu dei uma folheada, mas não cheguei a ler ele todo ainda não, até porque já estava com outras leituras em andamento, mas mesmo assim a narrativa do autor me encantou, até porque seus textos são inspiradores. Espero ainda ter chance de ler com mais calma o meu livro e gostar bastante. Tanto como você gostou. É um livro que vale a pena ser colocado na estante por conta das mensagens que ele passa. Eu amei a sua resenha viu? Eu li e fiquei encantada ainda mais com o livro e espero pegar nele em breve.


    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/02/resenha-insignia.html

    ResponderExcluir
  2. Oi Catharina, tudo bem? Achei o título e a ideia do livro maravilhosos. Tenho um carinho especial por contos e crônicas, então provavelmente vou acabar lendo em algum momento (devidamente alertada sobre o enredo repetitivo).

    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei do título, ainda não li, mas fiquei mega curiosa. concordo com você quando diz ser complexo opinar sobre a vida de alguém... Afinal, 'cada um sabe a dor e delícia de ser o que é'...
    Acho que a repetição é bem comum as nossas vidas, talvez seja válida no livro, no entanto, como não li, não tenho noção de como opinar...
    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. O título tinha me chamado atenção, mas quando vi como era o enredo, me desinteressei um pouco.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Já vi esse livro mas não conhecia o enredo, não sabia que era exatamente assim. Pra mim esse era mais um livro de autoajuda como ''O Que Toda Mulher Inteligente Deveria Saber''. Pelo visto me enganei totalmente.
    Me parece um livro meio triste e acho que eu não leria porque não é o tipo de livro que eu gosto de ler. Mas ainda assim a intenção do autor foi linda. Apesar dos pesares, com certeza ele deve ser bastante emocionante. Sou muito manteiga derretida e livros assim acabam com os meus feelings huahua
    Beijinhos.
    http://ressacamusiliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não sou muito fã de livros de não-ficção e esse não me chamou muito a atenção, principalmente pelo o que você falou. Acho que eu me incomodaria com essa característica do autor de dar a entender que nunca decepcionou ninguém e sempre acabava decepcionado e tudo mais... Também me incomodaria com a repetição, prefiro quando os livros são mais dinâmicos e variados, principalmente se for um livro de contos e crônicas.

    Sua resenha ficou ótima :)
    Beijosss
    http://bookspoison.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Conheci esse livro meio por acaso na livraria e me encantei por ele. Mal posso esperar para lê-lo. Eu na verdade gostei bastante do fato do livro ser editado como se fosse poesias porque achei que deu todo um charme especial, o design inteiro me deu um sentimento de ser pessoal e eu gostei muito disso. Só li algumas partes, então não sei se irei achá-lo repetitivo como você, mas quero conferir e muito.
    Beijos.
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  8. Catharina, sinto o mesmo que você ao falar desse estilo de livro, é dificil mesmo, fazer uma crítica sobre os sentimentos alheios. Mas saiba que você foi muito bem, apresentado os pontos positivos e apontando os negativo com toda leveza e sinceridade (que é super importante no nosso mundinho literário) Amei a resenha e gostei do livro.

    Beijos!

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. sei que é dificil fazer uma crítica sobre livros de não-ficção, é tenso mesmo. A resenha está bem escrita, mas não seria um livro que eu leria.
    Beijos!
    http://www.zombieffect.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não gosto muito desse estilo literário...Gostei muito da sua resenha, bem trabalhada e muito sincera.

    Bjs!
    http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Acompanho de vez em quando o site do autor. Lendo os textos dele lá, já dá pra ter uma ideia da repetição que você fala. Achei lindo saber que o livro é por causa do pai dele (eu não sabia), mas não sinto vontade de adquiri-lo.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem?
    Queria muito ler o livro, mas perdi um pouco a vontade, não curto muito livros não-ficção...
    Eu amo essa capa!
    Bjs


    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, e não sei se o leria.
    A sinopse é até bacana, mas pelo que você ressalta, de ser tão repetitivo, acaba tornando a leitura cansativa. Então eu nem vou arriscar. To tentando evitar decepções literárias. rs

    Adorei a resenha.
    Beijos
    Jaque - http://www.meuslivrosmeumundo.com/

    ResponderExcluir
  14. Olá!!
    Conheço o livro e tinha curiosidade em ler, com uma capa bonita e a sinopse instigante o livro me chamava a atenção, mas ao ler a sua opinião fiquei com um atrás em relação á obra. Ótima resenha.

    Beijos.
    http://marcasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oie Cathy, tudo bem?
    Conheci esse livro através de muitas indicações dele e meu Deus que capa linda ♥ A premissa dele me conquistou por conta de ser crônicas (gênero que gosto muito) e também saber que o autor é um blogueiro, sempre adoro ler livros, contos, poemas que os blogueiros escrevem! Mesmo apresentando algumas partes repetitivas, eu me interessei pela obra e espero ler em breve :)

    Beijos,
    Luan || http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. O título é bem legal e a capa também, porém quando vi que não era ficção desanimei. Não curto livros de não-ficção, a não ser que seja uma biografia de alguem que eu goste muito. Fora isso é muito difícil.
    Mas sua resenha é bem legal... Parabéns

    http://clubedolivrope.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Hey moça, tudo bem?

    É complicado mesmo criticar um livro que não se trata de ficção, pois ali é mais fácil falar de algo inventado do que o que uma pessoa realmente está sentindo. Confesso que não sou muito fã de contos (gosto de histórias longas) e que já tentei ler mais de um livro ao mesmo tempo mas nunca consegui finalizar, eu sempre acabo largando os dois e pego um terceiro para ler (depois volto neles, mas lendo um de cada vez HAHAHA).

    É tenso quando o autor fica dando voltas no mesmo assunto, você acaba ficando entediado ou até mesmo com raiva, pois quer sair do lugar mas o autor não faz a leitura mais dinâmica.

    Acho que esse lance da edição ter muitas folhas foi justamente para o pessoal não pensar que é um livro de poesia. Por incrível que pareça, hoje em dia as pessoa não estão pegando mais para ler os livros muito finos, optando pelos mais "cheios". Adorei a resenha.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá, já ouvir comentários sobre este livro. Tenho curiosidade, mas não muito. Acho que não leria, mas como tem partes que tocam o coração, quem sabe não dou uma chance.
    Beijos, sucesso!

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Não conhecia este título, mas a capa me chamou bem atenção! Parabéns pela resenha!
    http://entrelinhaseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oie, Catharina!
    Acho que eu jamais pegaria um livro de crônicas para resenhar, especialmente em parceria com o autor. É complicado porque às vezes não gostamos do livro, mas também não podemos ser extremamente sinceros nesse aspecto porque que direito temos de julgar a vida, os sentimentos de alguém? É muito complicado.
    Desejo toda a força do mundo ao Ique e sua família para encarar essa barra. Desejo força também ao pai dele, e queria que ele soubesse que eu, uma estranha, achei que o amor que seu filho lhe dá é tão grande que quase posso tocar. Parabéns pelo Ique, senhor.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. Olá :)
    Nossa, é bem o tipo de livro que faz o meu estilo. Adoro umas pitadas de drama e o enredo é completamente diferente de muita coisa que já vi. Fiquei bem interessada, ainda mais por serem crônicas. Adoro essas leituras leves e que não te obrigam a ler o livro de vez, dá para ir aos poucos.
    É um livro forte, me interessei ainda mais.

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  22. essa capa não é absurdamente linda mas é super fofa *--*
    cara não imaginava q esse livro era meio desse jeito. sei lá nunca nem li a sinopse sabe. achei q deveria ser mais uma daquelas paradas de auto ajuda q eu acho mega chato.
    e o fato de ser crônicas me anima pq eu adoro <3
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  23. Tambem comprei esse livro e adorei!!!
    Tãããããõ bom!!!
    Beijao
    Gio - Clube das 6
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oii não conhecia esse livro, mas nao posso negar que a capa é fantastica... apaixonei... o assunto não faz muito o meu estilo, mas a minha curiosidade pode fazer com que eu leia sim. Adorei a sua resenha

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  25. Oi, Catharina. Conhecia esse livro pela capa e pelo título, mas não sabia exatamente sobre o que se tratava. Não tinha vontade de ler, mas após a sua resenha estou cogitando dar uma chance à obra. Fiquei curiosa para ver a maneira que o autor retrata o amor, em suas diversas formas. Beijos!

    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  26. Eles devem ter enchido linguiça pra justificar um preço mais elevado já que teria muitas folhas. Eu não sou muito de contos e crônicas, prefiro o romance mesmo. Legal vc ter conseguido variar seu tipo de leitura.
    Imagino que o livro tenha sido muito repetitivo mesmo, porque até você acabou se repetindo pra falar isso. Rsrs
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  27. Olá querida
    Tudo bom?
    Eu não curto de ler livros de crônicas, ainda mais sabendo que o autor se tornou repetitivo na sua história.
    Infelizmente o livro não me atraiu.
    Parabéns por colocar tão bem seu ponto de vista.
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Nossa, nunca imaginaria que esse era um livro de crônicas! E ainda mais um que seja real. Assim como você estou começando a ler crônicas agora, e estou amando! Adoro esses livros que falam sobre o cotidiano e a vida.
    Realmente é tenso criticar algo que é real, é como se você estivesse julgando a pessoa e as atirudes dela né.. bem complicado, mas gostei do jeito que você escreveu, foi bem suave!
    E concordo com você: odeio livros que dão voltas e são repetitivos! Ainda mais sendo crônicas que costumam ser bem curtas.
    Fiquei curiosa quanto ao livro, quem sabe mais pra frente eu não decida lê-lo?
    Beijos
    www.romanceseleituras.com

    ResponderExcluir
  29. Tanta gente fala tão bem desse livro e do Ique, vejo direito resenha e comentários dele, e sempre tenho vontade de ler ahushaushas, mas o money não ajuda kkk!
    Amei a resenha Catharina!
    Beijão!
    http://umsonholiterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Eu acho essa capa uma graça, mas o gênero não me agrada tanto. Também venho tendo boas experiências com livros de crônicas, mas ainda não fico muito a vontade com a leitura. Bom que pra você está sendo o contrário.
    As vezes para deixar o livro lindo, e justificar o valor, as editoras acabam usando de artifícios que desperdiçam páginas. É chato isso né =/

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir

Seguidores no G+

FANPAGE

Veja também