Prisma Literário: Resenha: Depois Daquela Viagem - Valeria Piassa Polizzi

Resenha: Depois Daquela Viagem - Valeria Piassa Polizzi



Sinopse:
No tom coloquial próprio dos jovens, Valéria Polizzi relata com bom humor e descontração as farras com a turma de amigos, a dúvida entre "ficar" ou namorar, o despertar da sexualidade, a angústia diante do vestibular e muitas coisas que atormentam qualquer adolescente. Tudo isso seria perfeitamente natural se não fosse por um pequeno detalhe que iria fazer uma enorme diferença: Valéria contraiu AIDS aos 16 anos. A autora mostra como, de repente, por causa de quatro letrinhas, sua vida passou por uma reavaliação radical. Ela expõe, sem meias palavras, como a doença mexeu com sua cabeça e com os seus sentimentos, ficando claro a sua resolução de preservar sua condição de ser humano a qualquer custo.




Aos 16 anos, Valéria namorava um garoto de 25 anos, os dois se conheceram em um navio. O namorado sempre foi violento, ciumento e depois de seis meses de namoro, exigiu ter relações sexuais com Valéria. Ela não queria, mas mesmo assim aconteceu, teve sua primeira vez com o garoto sem camisinha.

Dois anos se passaram, os dois já haviam terminado pois Valéria não aguentava mais ser espancada e usada, até que ela descobre que está com HIV, o vírus da AIDS.

"Tem que haver alguma razão. Tem que ter algum sentido. Não é possível a gente ter um corpo que sente, um coração que bate, um nariz que respira, um cérebro que pensa, uma alma que sonha, e no fim, não ser nada."

Valéria passa então a escrever um livro sobre isso, sobre seu sofrimento, o sofrimento dos pais, o preconceito que existia naquela época, quando poucas pessoas possuíam o vírus. Valéria se sentia muito mal por possuir AIDS, conviveu dois anos com amigos e colegas sem contar nada, com medo da reação que eles teriam.

Depois que Valéria terminou o colegial, resolve fazer faculdade nos Estados Unidos, levando uma vida normal, aprendendo a ser independe. Assim ela vai relatando suas histórias, emoções e tudo que passou desde que contraiu o tal vírus.

"Às vezes, acontecem algumas coisas na vida da gente que nos fazem desacreditar de tudo. Desacreditar da própria vida, do amor e dos seres humanos."

A história é realmente perturbadora, com uma linguagem bem leve e fácil, que nos faz ver como a AIDS era vista há alguns anos atrás. Nos mostra que mesmo com AIDS, é possível levar uma vida normal. O livro é uma autobiografia da autora, que por sinal, lido em muitos países e adorado por muitas pessoas. Ela nos faz rir, se emocionar ou até mesmo chorar mostrando seus sentimentos.

Leitura rápida e obrigatória, com narração super leve e gostosa de acompanhar. Cada capítulo uma surpresa. Recomendo á todos.


"Em matéria de sentimentos, o homem continua na Idade da Pedra."


2 comentários:

LAYOUT E PROGRAMAÇÃO POR SHAIRA FOTO E DESIGN
imagem-logo